Preguiça de treinar? Fica a dica para driblá-la!

preguica-treinar

Quem treina há algum tempo talvez já tenha passado pelo menos uma vez por uma falta de vontade de treinar. Essa situação acontece de vez em quando, mesmo entre os mais motivados. Em alguns casos o descanso total por duas semanas resolve o problema e trazem a motivação de volta (normalmente para quem treina 4 dias ou mais por semana). Outros precisam de mais tempo ou de uma mudança (às vezes radical) na sistemática de treinos.

Se você está numa fase em que o objetivo é emagrecer e está tentando fazer isso sozinho, sem ajuda profissional, você realmente tem menos espaço de manobra para ficar sem vontade de treinar. Isso por que, nesse caso, seu peso pode aumentar e aí esse esforço de retorno vai ficando cada vez mais longe e difícil.

Por isso, o conselho aqui é procurar orientação de um treinador logo, e se puder treinar em grupo, melhor ainda. Quando seu treino é organizado dentro da sua realidade, as chances de sucesso começam a aumentar, fora a injeção de ânimo que um treinador e um time podem trazer para os seus dias.

Fonte: Portal Eu Atleta

Treinamento Funcional é opção para ganho de força.

aula-exprimental

Condicionamento, mobilidade, potência, velocidade, resistência… o treinamento funcional, reconhecido por reunir diferentes capacidades físicas em um único treino, tem sua base em movimentos que seguem padrões e funções articulares como puxar, empurrar, agachar, saltar, enfim, se movimentar de maneira eficiente.

Muita gente imagina que o funcional é um treino difícil e tem seus resultados limitados ao gasto calórico. No entanto, além de ser simples, um programa de treinamento funcional pode ter como objetivo, Força ou Hipertrofia muscular.

Tendo como pilar o fortalecimento do core – conjunto de músculos responsáveis pelo equilíbrio e estabilidade postural do tronco – uma vantagem do funcional é a ativação contínua de musculaturas que as máquinas de musculação não o fazem.

É importante saber que o treinamento funcional visa aprimorar e aperfeiçoar as capacidades físicas de um indivíduo, seja para as atividades da vida diária, ou para melhoria do desempenho ou reabilitação no esporte, exercendo movimentos eficientes.

Enquanto a musculação se limita a aparelhos onde o aluno exercita suas capacidades físicas de uma forma mais estática e localizada, o treinamento funcional melhora as mesmas capacidades, integrando tudo de uma forma mais dinâmica, utilizando o corpo por inteiro.

Apesar de não possuir contraindicações, a prática exige alguns cuidados. Não existem restrições, ou seja, o funcional pode ser adaptado para a realidade de cada pessoa. No entanto, é preciso ter discernimento e conhecimento do profissional de educação física para diminuição nos riscos de lesões e disfunções.

Pensando em quem nunca praticou, mas deseja começar, a primeira orientação é fazer um check-up.  É importante que o médico ateste as condições físicas do aluno. Minhas recomendações são: procurar um bom professor de educação física; atentar-se aos hábitos alimentares com a ajuda de um nutricionista; ter consciência que os resultados são alcançados com tempo, dedicação e disciplina.