A importância de ganhar massa magra

musculatura

Musculação, massa magra, consumo de proteína. Você pode até pensar que isso tudo é assunto somente para aquelas pessoas saradas que passam o dia fazendo muito esforço na academia, mas cuidar da musculatura vai muito além de ter um abdômen trincado – protege ossos, articulações e outros sistemas importantes para a saúde. São os músculos os responsáveis pela energia que impulsiona o movimento, além de sustentar e estabilizar o organismo e produzir calor.

O problema é que a massa magra, como podemos chamar o conjunto de músculos, é difícil de ser conquistada e mantida. Deve-se investir desde cedo em exercícios de força. E o esforço deve ser regular e contínuo, já que a perda de músculos acontece muito mais rapidamente do que o ganho – estima-se que, a cada mês sem atividades físicas, perde-se o equivalente ao conquistado ao longo de três meses. Não tem jeito: ficar sentado no sofá só vai aumentar a sua massa gorda, que é muito mais volumosa e, em excesso, traz diversos prejuízos para a saúde.

A boa notícia é que, além de beneficiar a saúde, ter mais músculos significa consumir mais calorias em repouso, conforme explica o treinador e nutricionista Éverton Bottega:

– O tecido muscular tem uma demanda celular muito maior. Para se manter ativo, precisa de mais calorias do que a gordura.

Treinar de forma constante ainda colabora a “ensinar” o corpo a manter uma boa quantidade de músculos. Isso quer dizer que, mesmo após uma pausa nos exercícios, é possível retomar à velha forma com mais rapidez, graças a um mecanismo chamado de memória muscular. Ela pode ser definida como a capacidade do músculo de retornar ao que já conhece. Ou seja, ele se adapta rapidamente quando é estimulado.

Massa magra e massa gorda

Ganhar músculos não significa necessariamente perder gordura – não há “troca” de uma pela outra. O que ocorre é que, com uma dieta adequada e a prática regular de exercícios, as fibras musculares tendem a aumentar, e as células de gordura a diminuir.

Terceira idade

Com o passar dos anos, é normal que haja perda de massa magra. Estima-se que, a cada década, após os 40 anos, perde-se em média 10% dos músculos. Isso significa metabolismo mais lento e outros problemas.

– Fortalecer os músculos é fundamental para o idoso. Quanto mais cedo começar, melhor. Qualquer regressão na perda de massa magra é muito importante. Perder musculatura prejudica a autonomia dos idosos e ainda pode aumentar os riscos de fraturas, como as de fêmur – diz Alessandro Gamboa, 2º vice-presidente do Conselho Regional de Educação Física da 2ª Região.